AH, a pacificação do futebol português

Não sei quem vai ganhar o clássico de Domingo, mas tenho uma certeza – vai haver molho. Quem é que no seu perfeito juízo nomeia Lucílio Baptista?

Anúncios

Futebol

O Meu Porto lá foi campeão, com mais golos do que seria de esperar.
O Sporting venceu a malapata e com dois golos de Yannick levou de vencida a equipa do Braga.
O Benfica não conseguiu ganhar e parece que a culpa é da arbitragem ou da Judiciária, que não faz o trabalho de casa!
Luís Filipe Vieira veio fazer o choradinho do costume, pena que não critique a arbitragem quando esta beneficia o Benfica, isto é, quando faz o trabalho de casa; e parece que até Rui Costa armou barraca no final do jogo.
Concedo que os lances sejam duvidosos.
Se o lance da bola na mão do jogador do Boavista é penálti, é tanto como o da bola na mão do Nélson. O lance com Petit e Leo deixa-me dúvidas, para um lado e para o outro. Ainda que toque no pé do jogador do Benfica, parece-me que primeiro afasta a bola.
O que me irrita são várias coisas.
A SporTV é paga e como tal devia ter algum cuidado com a preparação e/ou capacidade dos seus comentadores. Alguns são maus de mais. A maioria dos convidados sofrem demasiado de clubite para o meu gosto. O Hélder, que comentou o jogo na jornada passada, pode ser uma mais valia para o canal do Benfica, mas nunca para um canal generalista. A mensalidade devia ter em conta a qualidade dos comentadores. O que me leva ao comentador de ontem. O tipo embicou que era penálti, o comentador convidado também achou e estiveram a discutir aquilo o resto do jogo.
Lembro-me do Simão, há umas temporadas, depois de assinalarem uma falta que tinha sido inventada por ele (já se esqueceram da quantidade de golos e vitórias ganhas por lances mentirosos do Simão) dizia que era falta sempre que o árbitro assinalava.
Ora, o árbitro ontem não assinalou. Verdade que o Benfica fez um dos melhores jogos da temporada, teve atitude e manifesto azar, mas a arbitragem não foi pior que algumas que temos visto.
Luís Filipe Vieira fala muito e faz pouco. Não tem plano para o futebol e percebe pouco de bola, ou já se esqueceram do que aconteceu ao Alverca? Queixa-se muito, apanágio de todos os dirigentes, quando as coisas lhe correm mal, quando os erros beneficiam a sua equipa nada dizem, como seria de esperar.
Santos destes, dispenso eu.

Campeões?!?! Onde

É constrangedor ver o FCP a jogar. Já o tinha sido na semana passada contra o Fátima, foi-o hoje.
O balneário parece sólido, se ao menos o treinador fosse melhor… Não consigo perceber Jesualdo. Quando Tarik joga bem, quando é o melhor em campo tira-o ao intervalo, hoje deixou-o durante mais 15 minutos na 2ª parte. Enfim…
Para dizer a verdade, não vi muito da segunda parte, foi intermitente. Estava-me a dar gozo ver uma equipa a jogar à bola. O S. Donetsk, entenda-se.
Há dois meses o Benfica tinha a melhor equipa dos últimos anos, hoje…fosse Fernando Santos, e os lenços já se tinham tornado em lençóis.

Aston Villa

O Aston Villa empatou ontem com o Totenham num jogo com 8 golos (é fazer as contas).
A vinte minutos do fim o Villa ganhava por 4-1, mas deixou-se empatar num jogo louco. Aliás, a jornada foi profíqua, já que o Portsmouth tinha ganho no sábado, num jogo que rendeu 11 golos (7-4).
Outros campeonatos…

Questão de Português e outras questões

Numa altura em que a SIC viu o Benfica fugir do compromisso do canal por palavras injuriosas de um jornalista do Expresso sobre Luís Filipe Vieira ( A Sic e o Expresso pertencem ao mesmo dono), a Bola revela ter cuidado com as palavras, tanto que…
Só um «milagre» permitiu a vitória do Benfica (sic)
A troca de roubo por milagre é simpática e revela muito da capacidade jornalística.
Pela primeira vez A Bola resolve não dar o lugar principal da capa ao Benfica e prefere, justa e logicamente, dar lugar ao Fátima. O que nem sempre acontece. Do mal o menos.
Jesualdo diz que está envergonhado. diria que não é caso para tanto. Devia ter dito que está habituado. As 5 vitórias no campeonato ainda não se traduziram por bom futebol e dificilmente haverá bom futebol com Jesualdo. Eu que vaticinava a saída do técnico em Outubro, por esperar um início de época desastroso, tenho novas esperanças…

Obviamente, demita-o

Nunca morri de amores por Scolari.
Tem mostrado não conhecer a forma física dos jogadores, ou não ligar a esta; pouco se vê a observar jogos, prefere vê-los em casa; não explica as suas opções; faz birra e a selecção não joga puto; e só se lembra dos jornalistas e do povão nas fases finais, “olha a bandeirinha”. E se ao Mourinho desculpo parte da arrogância (mas o que é demais é moléstia), a Scolari não. Falamos dos feitos do brasileiro à frente da selecção…e então? Humberto foi aos quartos de final (e eu nunca gostei do Humberto) a praticar um excelente futebol. O futebol da selecção de Scolari nunca foi tão atractivo como o da selecção de Humberto (embora tenha ficado alguns furos acima de António Oliveira. O que não era difícil…).
Aliás, estivessem Humberto Coelho ou Fernando Santos ao comando e já não tínhamos selecionador. Alguém duvida? Mas o senhor foi campeão do mundo…
Mas, e depois do murro (tentativa?) de hoje? Em que ficamos? Não correram com o Sá Pinto e com o João Vieira Pinto por agressões? Só ficaria bem um pouco de coerência. Que imagem de liderança, quem é o senhor para criticar/castigar/punir alguém?
Mas, aposto que vão optar pela continuidade, quiçá pela renovação. A bem da imagem.
Fosse português…

Nacionalices

Deixem-se de mariquices! Em vez de irem à Luz, vejam os nossos rapazes no Mundial de Rugby.
Adorei a forma como os nossos jornais desportivos decidiram dar a notícia de mais um desaire. Afinal, agora é que não há espaço para errar. Em vez de “vergonha”, ou “joguem à bola”, ou “Mr. e agora o que é que diz?”, optou-se por dar força ao brasileiro e aos meninos porque 4ª Feira há outro jogo.
Se jogassem mais e falassem menos. Não jogámos nada, mas que adianta se são sempre os meninos bonitos? Scolari já devia ter saído à muito, mas é campeão mundial… e isso vale mais que resultados.
Melhor fica a imagem da selecção de Rugby, que mesmo perdendo salva a imagem.

Prepared

Depois de um início algo periclitante (derrota com o Liverpool, empate com o Newcastle e vitória suada com o Fulham) e com um jogo a menos (penso que com o Blackburn, mas posso estar enganado) o meu Aston Villa venceu ontem, em Villa Park, o Chelsea de Mourinho por uns claros 2-0.
Prepared é o lema do clube de Birmingham, e pode estar talhado este ano para melhores voos que o ano passado.
Martin O´neil, que obteve excelentes resultado com o Celtic, começou timidamente o ano passado. Este ano as esperanças são umpouco mais altas, e à 5 jornada e com um jogo a menos encontra–se a 3 pontos dos primeiros lugares, algo que aconteceu no início da época passada.
A ver vamos se estamos realmente prepared.
A minha admiração pelo clube de Villa Park nasceu no início dos anos 90, quando a Sic transmitia resumos e jogos do campeonato inglês. Qual Manchesters, Liverpools, Arsenals, etc…
As minhas retinas fixaram-se neste clube simpático e ligeiramente modesto. Ainda ssim já foi campeão Europeu, em 1982, frente ao Bayern de Munique, por uma bola a zero.

Breves e variadas

Escrevi pouco esta semana. Há uma razão particularmente forte, o pc morreu, entregou a alma ao criador. Escrevo agora de um novinho em folha. Quando um tipo pensa que poupou algum…lá aparece um gasto que não estava nas contas….
Todos aqui sabem que nunca gostei do Pepe. Não é por ser brasileiro que estou contra a sua participação na selecção, é porque acho que não traz nada de novo, é um jogador feito pelos jornais (ainda bem porque de outra maneira não nos teriam dado 30 milhões) e que não merece roubar lugar a um português…mas enfim… Ao menos lesionou-se, desculpem lá, e não participa já nestes dois jogos.
O grupo do Porto parece-me acessível. Demasiado. O problema do Porto é ter o Jesualdo como treinador. Ainda que o grupo seja acessível parece-me que teremos sorte em ir à UEFA. Mas não sei se o Jesualdo vai inventar mais alguma coisa até lá. Palpita-me que o Tarik estará fora dos próximos jogos. Foi, para mim, o melhor jogador em campo, mas isso deve ter parecido demasiado a Jesualdo. O tipo ainda marcava um golo, e depois? Tinha de o meter a jogar?
A 5ª série de West Wing não é, na realidade, má! É na verdade melhor, bem melhor, do que pensava. Tinha ouvido dizer tão mal…
Mas…não é igual às 4 séries anteriores. Percebe-se o rombo que foi a saída de Sorkin, criador, como argumentista principal. Nota-se uma certa tentativa de copiar, que por vezes consegue, a forma, os trejeitos, o humor, mas fica sempre aquém. Há um gosto esquisito a qualquer coisa, é a contrafacção. Nos episódios finais, desiste e abre novos caminhos.
Concluindo e voltano ao mesmo, não é má, mas também não é tão boa. Nunca o poderia ser.
Avé, Aaron Sorkin.