Sintam-se Convidados

Lendo nas suas três anteriores edições as poesias de Yolanda Castaño (Callema#01: Sob o signo do desejo), Nuno Júdice (Callema#02: Da noção de poemas às coisas mais simples) e Landeg White (Callema#03: Identidade em branco), este quarto número de Callema agora dado à estampa propõe uma capa distinta, em regime monográfico: um tema, Reescrever a Juventude. Músicos, poetas, escritores, artistas, ensaístas a escrever a ver a juventude, assim dizia o convite. Aceitaram os amigos: Ana Cláudia Santos, Andrea Leyerer, David Lopes, Emília Pinto de Almeida, Henrique Manuel Bento Fialho, Hugo Maia, Javier Rodríguez Casado, Luís Fernandes, Luís Quintais, Maria do Rosário Monteiro, Paulo José Miranda, Pedro Relógio Fernandes, Pedro Serra, Rebeca Hernández, Rui Zink, Sara Campino, Tiago Falcoeiras e Valete.
Anúncios

Callema nº2

A Callema já tem um segundo número, posso vender directamente ou podem fazer a encomenda no site da Cooperativa Literária, aqui.
Participo com um texto sem título, mas com pós-título, pancadas, sobre obsessão e sonhos. Para aqueles que acharam as Breves Narrativas negras, ou sado-masoquistas, este prova que aquelas não eram nada disso. Nadinha, mesmo!
Na capa Nuno Júdice, que é entrevistado e do qual se publicam 3 poemas, o primeiro é lindíssimo. Depois, as mesmas secções do número 1, mais uma nova de fotografia.
Aconselha-se, mesmo tendo um texto “aqui do je”.
Dizia ontem ao paginador e gráfico da revista que acho hoje, ontem, o número um feíssimo, comparando, claro, com este nº2. As bandanas assentam como uma luva e a revista é, por si só, já uma obra de arte, e um regalo para os olhos. Parabéns, sr. Ilídio.

Pensava escrever um ensaio para a Callema nº2.
Mas, a semana passada escrevi um texto que lhe vai tomar o lugar. É sobre obsessão e sonhos.
Esperem pelo 2º número da Callema.
E não tem título, tem antes um pós-título!