Afinal aqui não há tulipas!!!

Parece que Co Adriaanse para além de ser contestado, apupado e provavelmente chingado (gosto deste termo brasileiro), Adriaanse ainda viu o carro em que seguia ser atacado e vandalizado: A viatura ficou bastante danificada e quase sem vidros, mas, tanto quanto foi possível apurar, os danos foram apenas materiais, dado que o holandês terá conseguido arrancar antes de haver males maiores. (…) O empate em mais uma exibição cinzenta não agradou a quem pagou o bilhete e Adriaanse não se livrou de ouvir das boas quando se dirigiu para o autocarro. Os jogadores foram, no entanto, poupados. O técnico foi o único a ouvir um coro de assobios e algumas frases mais azedas.
Notícia completa aqui.

Gosto da forma como Adriaanse colocou alguns jogadores a jogar, Quaresma transfigurou-se quando comparado com o ano passado, o mesmo acontecendo com Peixoto (embora eu não o aprecie nem pintado.) No entanto, parece-me que é tacticamente e animicamente, o plantel não é, parece-me, de modo algum um grupo, não vejo grande união.
Tacticamente o Mr anda perdido, ainda não constatou a realidade portuguesa e vai alternado o muito bom com o muito mau. 3-4-3 em Portugal é sinal de suicídio, e se ele ainda não aconteceu deve estar para breve.
Um homem que disse que se lhe acenassem com lenços brancos se ia embora o que fará agora que lhe partiram o carro? Vai dizer, novamente, que eram adeptos encarnados? Animicamente não me parece que os jogadores tenham grande alegria em jogar, e parece-me que mentalmente não podem ser muito fortes.
Adriaanse já mostrou que em calho de falha a maior parte dos jogadores sai, mas isso não acontece sempre. Pepe falha categoricamente de jogo para jogo, ontem o RioAve devia ter visto o árbitro sancionar um golo e não uma falta, e a culpa recairia toda para cima desse poço de qualidades que é Pepe. Baía falhou e saíu, Ibson fez uma série de jogos muito boa e saiu sem se saber porquê, o Alan joga sem se saber porquê, o Ivanildo nem mexe e depois de ontem ficxamo-nos a perguntar porquê.

Quanto à espectativa do Benfica- Porto daqui a 3 semanas, não tenho grandes. O Porto ainda não fez nenhum jogo grande de jeito este ano, fê-lo em Milão, mas o treinador não quis ganhar, contra o Sporting foi mauzito, contra o Benfica foi péssimo e os restantes da Liga dos Campeões foram………enfim…
Daí que o incidente possa levar o treinador a repensar a estratégia, senão o fizer o cenário do ano passado ameaça voltar a concretizar-se.

Este senhor não é treinador para o Porto, tal como o Koeman não o é para o Benfica, mas esta é somente a minha impressão. São demasiado maus para serem verdade. Há imensos portugueses capazes de fazer o mesmo, pior não, o mesmo. Por isso…

O Escritor Comunitário parece que está a entrar (lentamente) nos eixos.
De que é que eu falo?
De um projecto activo e interactivo. Espero que os que desse lado gostam de escrever participem com as vossas tentativas de continuar o texto, e que todos em conjunto semanalmente escolhamos a versão que deve ser a definitiva.
Assim às 5ª Feiras colocarei as hipóteses a votar, votação que decorrerá de 5ª a sábado, ao Domingo teremos o vencedor e terão de Domingo a 4ª para me enviar as continuações para votação.

Participem e divulguem

Ainda bem que temos a 2

Amanhã a 2 começa a transmitir uma das grandes séries do ano passado. Rome é uma série de 12 episódios (primeira época – a 2ª verá a luz do sol em 2007) sobre a transformação de Roma de República em Império. Começaremos este ano a ver a passagem de César de general a Imperador. Eu vi o 1º episódio e achei extremamente interessante, não é uma série para toda a família (foi produzida pela HBO) mas também não é gratuita e vem com a qualidade que esta produtora americana e a BBC nos habituaram. Demorou alguns anos na pré produção e merece ser vista.
Amanhã, na 2, a partir das 23h!
Afinal parece que é só na 2ª Feira. Seja amanhã ou depois, aproveitema oportunidade.

Escrever séries sobre terrorismo/terroristas nem sempre é fácil. Muitas vezes cai-se no cliché, evita-se chocar os conterrâneos (americanos e europeus) e violenta-se Africanos e Asiáticos (Médio Oriente incluído). Daí que The Grid tenha sido uma boa surpresa. Produzida e realizada a duas mãos (BBC e FOX) The Grid leva-nos até à Síria, Egipto, Reino Unido, EUA, e outros países. Seguimos uma equipa constituída por membros de várias Agências internacionais na busca dum grupo terrorista na posse de gás Sarin. O 11 d eSetembro ainda se encontra bem presente na cabeça dos protagonistas.
Como referi, é por evitar cair na redundância do costume, de bons a mais alinhadas de lados previamente escolhidos que esta série ganha alguns pontos.
Julianna Margulis, a namoradinha de Clooney em ER é uma aposta ganha, mas alguns dos actores ingleses são boas surpresas.