Reformation day

Contra a venda das indulgências, e também contra a escolástica, defendendo uma nova exegese, e um amplo conhecimento da Bíblia por parte dos fiéis, Lutero martelou 95 teses na Igreja de Witemberg.
Quiçá faltará a Igreja deste século um novo Lutero. Embora tenham oportunidade de ler a Bíblia (pelo menos no mundo ocidental) muitos dos que ocupam os bancos da Igreja não a conhecem, nem sabem o que esta diz. O espírito de Lutero faz falta, muita…
Aqui fica um dos hinos que escreveu. O meu favorito:
Castelo forte é nosso Deus
Espada e bom escudo,
Com seu poder defende os seus
Em todo transe agudo.
Com fúria pertinaz
Persegue Satanás,
Com artimanhas tais
E astúcias tão cruéis,
Que iguais não há na terra.
A nossa força nada faz,
Estamos, sim, perdidos;
Mas nosso Deus socorro traz
E somos protegidos.
Defende-nos Jesus,
O que venceu na cruz,
Senhor dos altos céus;
E, sendo o próprio Deus,
Triunfa na battalha.
Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos podiam assustar,
Nem somos derrotados.
O grande acusador
Dos servos do Senhor
Já condenado está;
Vencido cairá
Por uma só palavra.
Sim, que a palavra ficará,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa.
Se temos de perder
Os filhos, bens, mulher,
Embora a vida vá,
Por nós Jesus está,
E dar-nos-á seu reino.
Para ouvir a música, clicar aqui.

O que faz falta é aterrorizar a malta, o que faz falta…

Estou, lentamente, a criar um anti-virús a telejornais e jornais. Eu quero informação e eles cada vez menos a dão. É incrível a quantidade de tempo e papel que se gasta a dissecar a pseudo-violação de Cristiano Ronaldo. Claro que o caso é tantou ou mais caricato por se incluírem frases deste tipo na entrevista: “Em Inglaterra, onde os jornais dão demasiada atenção a estes casos, Cristiano Ronaldo não tem descanso”!!!! Logo seguidas de uma interessante entrevista na terra natal de Cristiano, auscultando as inopinões dos transeuntes acerca do mesmo.
Assistimos a entrevistas em que o entrevistado vai a meio da resposta e o jornalista interrompe-o com um ar angustiado e entediado.
Asssitimos a criações de notícias somente para alimentar a polémica (gripe das aves). Quando alguém que sabe sobre o assunto fala, ignora-se. se alguém tenta mitigar as notícias que correm a rodos, tentando explicar alguma coisa logo vem a comunicação social com mais um caso de pombos mortos.
Aparentemente não há notícias, há catástrofes, misérias, espectáculos…e como eu não tenho muita paciência para abutres…

Sou só eu que acho isto estranho?

O Benfica é sempre a excepção, tem sempre razão e agora até quer poder inscrever um jogador fora do tempo determinado. Sou só eu que acho estranho que isto aconteça? O Sporting tem 3 guarda-redes no plantel principal. Porque é que o Benfica não? Acontecendo esta situação no Sporting não haveria grandes problemas, no Benfica já há, obviamente.
Ora se um clube só tiver 2 pontas de lança e a meio da época se lesionarem os dois, pode ir buscar e inscrever algum?

Enfim…a verdade é que o vai fazer, não tenho grandes dúvidas. O Benfica quer, e pode, muitas vezes porque é o maior clube de Portugal, e esta é a única razão lógica. Enfim…futebolices.

Wegener´s Jigsaw – o início do livro

Escrevia aqui, ontem, que o início deste livro era dos mais bem conseguidos que já lera.
Aqui fica a prova ou a contra-prova, como quiserem.

“Let me tell you about ice. There are a few things you should know: firstly, it´s not white. Usually it´s blue, almost a turquoise, almost warmly Mediterranean. Sometimes it´s not even blue, but yellow or maybe orange. That´s when the sun is setting. Sometimes it seems that the sun is always on the point of setting up here. It´s not, of course. It´s just that often it is so low that all the light is scattered, and for a small while, just a few seconds, it si so beatiful you could forget to breathe. Stupid to forget to breathe, i know, but it happens. You forget to breathe and the you have to take a great mouthful of air and gasp at the coldness of it”

Eu gostei imenso desta passagem, e de outras…
como verão, no futuro, aqui.

Livros II

O momento de dizer adeus a um livro é triste! Mas há sempre oportunidade de conhecer novos.
Falando de ficção estou a ler, neste momento 3, Wegener´s Jigsaw, Jonathan Strange e Mr Norrel e Admirável Mundo Novo.Fico-me por algumas, breves, considerações acerca dos 2 primeiros.
De Jonathan Strange e Mr. Norrel conheço somente a experiência da crítica, e como esta pode ser limitadora e enganadora. Ainda só li o primeiro capítulo e vai demorar um pouco de tempo até chegar ao fim deste calhamaço (cerca de 750 pp). Demorar porque comprei a edição em inglês, e em capa dura, o que impossibilita a viagem corriqueira com o mesmo debaixo do braço, ou mesmo na mão (ainda ganho ou uma tendinite ou o livro ganha um cheiro não muito agradável.) Li o primeiro capítulo e deixou-me alguma água na boca, está extremamente bem escrito e a única coisa quye sei do plot (propositadamente) é que trata de magia, mas não no mesmo estilo do Harry Potter. Falarei mais dele e da visão da magia nas próximas semanas (reparem que estou a ser optimista).
Wegener´s Jigsaw foi uma descoberta. Peguei nele na FNAC, estava com 50% de desconto e a capa até não era feia. A contracapa vendia-o como uma biografia ficionada do senhor que descobriu/defendeu a teoria da deriva dos continentes, numa altura em que (início do século passado) “science could still cost your life”.
Deixarei aqui algumas frases do livro ao longo das próximas semanas, algumas das quais acho brilhantes, incluindo o início que é um dos melhores, senão o melhor início, que já li.
Mas isso fica para amanhã.