Zero Game, Brad Meltzer

Não foi o primeiro livro que li de Brad Meltzer. Já o conhecia da BD. Escreveu uma arc-story para o Green Arrow, fraquita na minha opinião, mas escreveu a mini-série do ano na DC. Identity Crisis.

Foi esta história que me levou a comprar na Fnac Zero Game no Domingo. O que dizer de um livro que lemos em doze horas?

Que tem uma premissa interessante – Dois staffs no Senado Americano jogam um jogo (adivinharam o Zero Game), não é nada demais, são pequenas apostas ou brincadeiras relacionadas com a vida do Senado. Um dia um deles é morto e é aí que o verdadeiro jogo ( o do rato e do gato) começa. Sem sequer saber porque está a ser perseguido eporque é que o querem matar Harris Sandler procura descobrir a verdade.

Não é nada de outro mundo! É um romance tipicamente americano, um blockbuster, comparável a Grisham. Deu-me algum gozo a ler, desiludiu-me um pouco na recta final e edtava à espera dum final mais interessante. No entanto, não é do pior que anda por aí.

Por isso se gostam de Thriller e política Americana, dêem uma chance ao rapaz.

Ou comprem a BD – Identity Crisis vale(u) muito a pena…

O filho de thor e Máscara de Raposa

Li o Filho de Thor quando saiu.

Fiquei com pé atrás quando li ou ouvi alguém comparar a autora com a Marion Zimmer Bradley. Nunca apreciei (e podem bater, mas gostos não se discutem lamentam-se) os livros de Bradley, melhor nunca consegui passar para além das 100 páginas. Mas tudo o que tenha a ver com mitologia nórdica interessa-me (a culpa é da BD, quantas vezes andei com o deus do Trovão debaixo do braço?).

A verdade é que li e gostei bastante. Quando o segundo volume saiu corri a comprá-lo mas não consegui lê-lo. Havia algo que me impedia. A semana passada peguei nele e disse a mim mesmo, vais lê-lo.

Li e gostei tanto ou mais do que do primeiro. Gostei dos dois porque nenhum cai no cliché barato.

TEm algo de original, de iniciação, de luta, mudança de personalidades, de crescimento. Fala de amor e do poder deste. Fala ou falam, para ser mais preciso.

Dois romances que aconselho vivamente a descobrir, em português na Bertrand.

Se estiverem interessados na trama digam qualquer coisa, não escrevi mais pra não vos chatear…

As prendas

Não vou mencionar todas…

Mas algumas, o meu morito deu-me uma bolsa para as carteiras e telemóvel, chaves e afins – andava farta de me ver com os bolsos cheios de tralha!

Deu-me também um livro intitulado “Eça de Queiroz e o Egipto Faraónico”, uma leitura do livro de viagens de Eça sobre o Egipto, o qual está com muito bom aspecto! Deu-me também um Scrapbook lindo, lindo!

De resto, recebi a tãqo desejada biografia de Churchill, um livro sobre datas chaves do Cristianismo, o 3ª volume das crónicas de Fionnavar (aconselho vivamente) e mais algumas coisas…

Recebi também um gravador de DVDs que só me deu dores de cabeça. Andei 5 dias a tentar descobrir o que se passava com ele, já que o pc não o reconhecia, depois de tentar tudo e mais alguma coisa, voltei à loja, trocaram-me por outro que aparentemente está com melhor saúde. Vamos a ver….

E vocês?

Quais as vossas prendinhas?

Natal

Foi um Natal normal mas ainda assim meio choço, não me peçam para explicar. Há coisas que se sentem e não se explicam.

A ementa foi constituída de bacalhau cozido com couves, para uns, e bacalhau espiritual, para outros. Confesso que sou pouco adepto do b. cozido e por isso optei pela 2ª opção. Como prato de carne degustei um arrozito de pato.

Como doces digamos que comi com cuidado, somente molotof com doce de ovos, bolo rei, um pouco de tarte de laranja (não sou muito apreciador) e mais qq coisa que não me lembro)!

Entre o jantar e a abertura das prendas jogamos Trivial – A minha mãe e eu num equipa, o meu irmão e a minha madrinha na outra. Ganhámos 2-0, para que conste:p

E depois as prendinhas….

De notar que só tive oportunidade de estar com o meu amor no dia seguinte, embora já tivesse trocado as prendas com ela durante a tarde. Andamos há alguns anos a tentar passar a noite de Natal juntos, mas ainda não foi desta. Quem sabe para o ano?

Ponto da Situação

Parece que não escrevo aqui há uma eternidade. Acho que é há menos tempo:p

De qualquer modo fico feliz por voltar aqui, é quase como voltar a casa. A última semana foi complicada em termos de tempo. Por um lado até 6ª Feira foi muito o trabalho e depois tive 3 dias e meio de folga, algo que já não aocntecia desde o verão, portanto acho que tenho desculpas por não ter ocupado o meu tempo livre em frente do Pc, não acham?

De qualquer modo aconteceram algumas coisas, entraram novos livros e Dvds para a colecção, mas sobre isso já falarei em outros posts…

Os novos Clubes de Vídeo

Acho que está na altura de mudarmos o nome, não? É que o paradigma mudou, agora são quase, por excelência clubes de DVD e cada vez mais.

É interessante ver a nova moda. O que também é sinal dos tempos, falo dos Vídeo clubes tipo multibanco em que se paga em função do tempo que se demora. Hoje quer-se tudo o mais rápido possível e o cliente não gosta de pagar muito. Tem toda a lógica o filme ser pago em função do tempo que demora em casa do cliente. Tem toda a lógica numa sociedade que já nasce cansada e atrasada para ir ao trabalho.

De qualquer modo o meu obrigado ao srs. que se lembraram de abrir um ao lado da loja da família………….