Leituras de Verão

Ele está na história como um diabo, demónio ou algo desse género.

Cícero deitou toda a sua reputação abaixo. Na faculdade Catilina era sinónimo de devassidão, traidor, etc.

Esta semana li “O enigma de Catilina” de Steven Saylor. Roma Sub-rosa é a sua coleção de policiais, onde a personagem principal, Gordiano, o Descobridor investiga crimes nos últimos 50 anos antes de Cristo.

Este livro por tudo o que pensa e avança sobre a figura de Catilina foi muito interessante para mim. Coloca-nos perante os acontecimentos que deram origem às Catilinárias de Cícero (que tantas vezes tive de traduzir!!!).

Para quem gosta de policias, de história, de Roma, dos Romanos e essencialmente de política do I Séc. é um livro que recomendo.

Manuel Alegre

Foi há uns anos, na faculdade onde andei, que tive a oportunidade de ouvir uma palestra/homenagem/leitura de poemas de Manuel Alegre. O poeta estava presente, leu alguns poemas seus.
A semana passada ouvi a sua integração na corrida de fundo à liderança do PS.
Há uns anos, talvez pelo cansaço, adormeci durante um dos poemas. A semana passada abri bem os olhos.
Estava consciente que Maneul Alegre é o candidato da ala mais esquerda do PS, mas a profusão de “camaradas” no discurso abananou-me um pouco. Fiquei na dúvida. Será que o homem saberia que estava a candidatar-se ao PS? S de sapato e não de cão?
Mas enfim, se calhar são mesmo todos iguais como diz o povo.
Ainda gostava de acreditar que não!

PartidoContraPortuguês

Vi hoje um pouco do debate na assembleia sobre o programa do XVI Governo!

Vi só um pouco porque realmente não tenho pachorra.

Ouvi a oposição, e raras são as vezes em que se diz qualquer coisa construtiva ou com o objectivo de se chegar a um consenso. A política em Portugal é um fosso. Dum lado um dizem A, do outro lado dizem Z e tudo o que vão dizendo entrementes vai para um canal fundo e nauseabundo. Vai porque os que diziam A continuam a dizê-lo e os que diziam Z continuam na sua.

Mas ao ouvir o Dr. Carlos Carvalhas e o seu discurso lembrei-me duma frase da “camarada” Ilda Figueiredo a semana na eleição de Durão Barroso. Dizia a “camarada”: “Vocês sabem que nós estamos contra” – Então não? Sabemos que o PCP e duma forma geral todos os partidos estão contra tudo o que os outros digam, advoguem ou promovam. Mais não seja porque é assim a política em Portugal.

Já não tenho pachorra.

Contraproducente

Eu admito que não percebo muito de bola. Mas pronto!

Desejar que o Porto repita os feitos das últimas duas épocas, é isso mesmo! Um desejo. Se Mourinho estivesse cá, penso que não seria impossível, mas com a táctica que o italiano Del Neri está a implementar…!!!
Lembro-me do Mourinho dizer a meio da época passada que a compra de Postiga pelo Totenham tinha sido um falhanço, não por falta de qualidade do avançado mas porque ele não servia para o tipo de futebol praticado pela equipa inglesa. Parece-me que é isto que se passa com FCP de Del Neri.
Parece-me ilógico que se destrua um meio campo forte e defesa sólida, a favor de um defesa em linha (é só a mim que isto parece má ideia?) e de dois médios centros (na prática são só dois médios, mesmo!).
Pegando na frase de Mourinho, acho que seria mais lógico ir buscar um treinador não como Mourinho, ou à sua imagem, mas que praticasse ou defendesse um futebol apoiado na força do meio-campo.
Agarrar numa equipa campeã da Europa, Bicampeã nacional e esquecer os seus pontos fortes parece-me uma autêntica estupidez.
Ao intervalo o Porto perde por 1-0 com uma equipa belga, não é o resultado que me aflige, é a exibição.
A minha esperança? Que o italiano perceba que não está em Itália e mude a táctica, temo é que compreenda tarde de mais.

Pandas e Deputados

Estes asiáticos são loucos, diria o meu amigo Obélix se ouvisse esta história.

Japoneses ou chineses (já não me lembro muito bem) fizeram uma experiência.

Como o panda está em vias de extinção, alguns cientistas fizeram algumas pesquisas. Decidiram então mostrar vídeos de pandas em acasalamento a pandas em cativeiro…

…(esta é digna do Homem que Mordeu o Cão) a realidade é que os vídeos fazem efeito, e já nasceu pelo menos mais um panda, ora como um nascimento é algo digno de comemoração, os cientistas vão continuar com as sessões de cinema.

Ora eu pensei que… Se isto resulta com pandas também pode resultar com deputados. Qual a ligação, perguntam vocês? Os deputados, quando na assembleia, mexem-se tanto quanto um panda a comer, parecem preguiças.

Mas o que eu qeuria dizer era…

…Arranjamos uma cassete de deputados a trabalhar (deve haver algum país no mundo em qe isto aconteça, acho eu; mais não seja uma cassete de Taiwan!) e mostramos aos deputados. Pode ser que eles se entusiasmem e comecem a trabalhar em prol do país e não de birrices ou ideologias estúpidas.

Era só um pensamento……..

Na Roça Com Os Tachos

Um dos prazeres da (minha vida) é comer. Quem me conhcece sabe que se nota!

Mas este programa é mais do que um programa culinário.

A Simpatia do apresentador, a capacidade de entreter e cativar, as paisagens de São Tomé, as pessoas que vão aparecendo (a medo e timidamente) fazem deste programa uma mais valia. Contra a super-produção de todos os outros, por apresentar um face humana e bem disposta, num plateau muitas vezes remediado.

5 estrelas

Na RTP2

ou :2

aos dias de semana entre as 13h15 e as 13h30

Big J

O aborto

http://dn.sapo.pt/cronica/mostra_cronica.asp?codCronica=7719&codEdicao=1163

Em primeiro lugar, devo dizer que sou contra o aborto!

A não ser que haja perigo de morte para a mãe, e pouco mais.

Sinceramente, que haja jovens que copulem à vontade, sem saber o que pode acontecer e que depois queiram fazer um aborto, horriza-me e enoja-me. Ou que tenhamos que ver, como na Sic há uns meses, uma senhora orgulhosa dos seus 10 abortos (neste caso, abria uma excepção, acho que esta senhora devia ter sido abortada à nascença, ainda que seja um aborto naquele sentido jocoso e depreciativo com que as crianças e jovens tratam aqueles de quem não gostam).

Mas…não quero neste momento dizer o que penso…

Acho que o artigo acima, publicado no DN de 12 de julho da autoria do Prof. João César das Neves é excelente.Recomendo a leitura, e deixo algumas frases. Desculpem, mas não resisto…

Fingem (os abolicionistas, os de esquerda, se partidizarmos a questão) também preocupar-se com as pessoas envolvidas no terrível drama do aborto, embora, de facto, apenas as usem como instrumento de agendas políticas.

Aqueles que defendem a vida e se lhes opõem nesta luta, criaram dezenas de organizações para apoiar grávidas em dificuldades, famílias com problemas, bebés abandonados. A preocupação é com as pessoas reais. Pelo seu lado, os promotores do aborto livre limitam-se a defender valores teóricos e liberdades abstractas.

Até no campo dos princípios há fingimento. Falam da defesa da escolha, da libertação da mulher e da prioridade à saúde. Mas o que está em causa é mais uma batalha no ataque secular à família, entre várias que preparam. Partidárias da feroz regulamentação em todos os campos económico-sociais, estas forças consideram que aqui deve vigorar a mais vasta libertinagem e total irresponsabilidade. Em nome do tabu sagrado do prazer sexual sem limites.

Querem ignorar a esmagadora evidência científica que mostra, sem margem para dúvidas, que ali está já um bebé, um ser vivo com todas as potencialidades pessoais, na fase mais frágil da sua vida.

Esquecem até que houve um referendo nacional sobre o assunto. Desprezam-no por causa da abstenção, enquanto argumentam com a sua vitória retumbante em eleições europeias, que teve abstenção da mesma ordem de grandeza</em>.

Podia escrever mais qualquer coisa, mas acho que não vale a pena. Pensem nele, ética, religiosa e politicamente.

Pode-nos ajudar a crescer um pouco mais. A quem o deseja realmente.